'
  • Sem categoria

Rússia pode tornar aviação peruana uma das mais avançadas da América Latina

Aeronaves MiG-29, foto de arquivo

Analista militar peruano explica por que cooperação com a Rússia na área de defesa é mais vantajosa do que com EUA.

A Força Aérea do Peru está avaliando a aquisição de modificação mais recente dos caças MiG-29, MiG-29M2 de geração 4++. A Sputnik Mundo conversou com Martín Manco, analista militar peruano, para esclarecer os prós e contras desta iniciativa.


Em primeiro lugar, a Rússia e as nações latino-americanas não têm qualquer conflito de interesses, salientou Manco. Em segundo, os contatos com a indústria de defesa norte-americana representam um risco existencial para a região. Comprar armamento de fabricação norte-americana pode representar um grande problema de longo prazo.

Seus contatos na área de defesa dependem em grande medida da conjuntura política na região: quando decidem que a gestão de um ou outro Governo não lhes convém, cortam os fornecimentos de munições, peças, materiais e “deixam os aviões em terra”.
“Com os russos não vamos ter esse problema. Vão nos abastecer e definitivamente esses caças vão estar no ar sempre. Esta é a vantagem de poder adquirir aparelhos de países que não têm conflitos de interesse direto ou indireto.”

Segundo o especialista, um dos pontos mais importantes do acordo previsto é a transferência de tecnologia. Ou seja, os engenheiros peruanos têm a capacidade de reparar seus navios no Peru e adaptar alguns de seus sistemas de acordo com suas necessidades.

Por último, Manco acrescenta que, com esta aquisição, o Peru se colocaria a par de outras nações da região, como México, Chile, Venezuela e Brasil, mesmo tendo ficado para trás no quesito superioridade aérea nos últimos anos.
A Força Aérea peruana já conta com uma grande frota de naves MiG-29. Entre 2008 e 2015, a empresa MiG modernizou oito destes caças, atualizando-os para a versão MiG-29SM. Os MiG-29M2 são, não obstante, a mais recente modificação da linha de aeronaves …read more

Leia mais: Notícia Final

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close