'
  • Sem categoria

ARA San Juan: nota da CTBTO sobre explosão detectada em 15 de novembro

Abaixo, tradução de nota da CTBTO – Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares (Comprehensive Nuclear-Test-Ban Treaty Organization) divulgada nesta quinta-feira, 23 de novembro (clique para acessar a nota original) a respeito do fornecimento de dados hidroacústicos pela organização para ajudar na busca do submarino desaparecido San Juan, da Armada Argentina.

Imagem divulgada em nota da CTBTO, mostrando a localização das estações hidroacústicas que captaram som de explosão em 15/11/2017, na região do último contato do submarino argentino desaparecido ARA San Juan, além da posição do evento e sua assinatura acústica

Dados hidroacústicos da CTBTO na ajuda às buscas do submarino desaparecido San Juan

23 November 2017

Em 15 de novembro de 2017, duas estações hidro-acústicas da CTBTO detectaram um sinal incomum nas proximidades da última posição conhecida do submarino argentino desaparecido ARA San Juan.

As estações hidroacústicas HA10 (Ilha de Ascensão, território ultramarino britânico) e HA04 (Ilha de Crozet, território ultramarino francês) detectaram um sinal de um evento impulsivo subaquático que ocorreu às 13h51 (GMT – horário de Greenwich) de 15 de novembro. A localização do evento é a seguinte: Latitude do evento: -46.12 graus; Longitude do evento: -59.69 graus, o que se situa nas proximidades da última posição conhecida do ARA San Juan.

Detalhes e dados estão sendo disponibilizados para as autoridades argentinas para apoiar as operações de busca em andamento.

As estações hidroacústicas são parte do IMS – sistema de monitoramento internacional (International Monitoring System) da CTBTO, que monitora o planeta de forma contínua, buscando sinais de explosões nucleares. Sons subaquáticos de baixa frequência, que podem ser produzidos por um teste nuclear, se propagam de forma muito eficiente pela água. Consequentemente, esses sons subaquáticos podem ser detectados a grandes distâncias, até mesmo de milhares de quilômetros de suas fontes. Esse é o motivo do IMS necessitar de apenas …read more

Leia mais: Poder Naval

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close