'
  • Sem categoria

Geopolítica da saída de Trump do acordo com o Irão

por Melkulangara Bhadrakumar


A decisão do presidente Donald Trump de sair do pacto nuclear de 2015 com o Irão impacta significativamente as placas tectónicas da política mundial. Ao nível mais profundo, o enfraquecimento da liderança trans-Atlântica dos EUA que tem estado em andamento pode tornar-se irreversível.

Sem dúvida, as capitais europeias estão raivosas e desapontadas. O apoio ao pacto de 2015 era profundo na Europa e a desilusão com a presidência Trump está generalizada na opinião pública europeia.


Em princípio, uma “mudança de regime” em Washington na eleição de 2020 pode melhorar alguma coisa, mas dois anos é um longo tempo em política, nesse período a divisão entre os EUA e Europa pode aprofundar-se ainda mais e uma nova alquimia pode transformar radicalmente o Euro-Atlantismo enquanto tal, com a percepção crescente de que os EUA não são confiáveis e que é um parceiro cada vez mais malévolo.

As corporações europeias estão a ser forçadas nos próximos seis meses a decidirem se desejam continuar a fazer negócios com os EUA ou se preferirão continuar a buscar oportunidades comerciais no Irão. A Europa resistirá a qualquer tentativa dos EUA de punirem companhias europeias. Ainda mais importante, a busca da Europa por mecanismos de pagamentos que contornem bancos americanos ganhará impulso.

Mas estes são os primeiros dias e quaisquer previsões de um crack apocalíptico na aliança ocidental como tal será demasiado prematuro. Naturalmente, a administração Trump iniciou o controle de danos. Trump telefonou à primeira-ministra britânica Theresa May para coordenar esforços a fim de incentivar na opinião pública ocidental [a ideia] acerca do “comportamento desestabilizador do Irão”, atrelando a campanha aos “ataques provocadores com roquetes do regime iraniano a partir da Síria contra cidadãos israelenses”.

A Grã-Bretanha está a desempenhar seu papel tradicional como porteiro de Washington na Europa ao ajudar a moderar …read more

Leia mais: Notícia Final

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close