'
  • Sem categoria

“Nós desafiamos a Rússia”: destróier dos EUA se aproximou “a uma distância perigosa” da base da Marinha Russa no Mar do Japão.

O destróier da Marinha dos EUA, McCampbell, aproximou-se a uma distância perigosa da base da frota russa do Pacífico em Primorye.

De acordo com um comunicado da Marinha dos Estados Unidos, no dia anterior, em 5 de dezembro, o destróier americano McCampbell se aproximou de uma perigosa distância da baía de Pedro, o Grande, no Mar do Japão. É lá que a base da Frota do Pacífico das Forças Armadas da Rússia está localizada.


A representante da Marinha americana, Rachel McMarr, disse: “Nós desafiamos a Rússia”. Segundo ela, dessa maneira os americanos demonstraram seu desacordo com as reivindicações marítimas de Moscou e apoia o direito de outros estados de usar legalmente as águas do Mar do Japão.


Makmarr observou que isso não estava de forma alguma relacionado ao incidente no Estreito de Kerch, quando navios de guerra ucranianos atravessaram ilegalmente a fronteira estadual da Rússia. O representante da Marinha dos EUA enfatiza que as ações do McCampbell dizem respeito a certas “reivindicações” que Moscou supostamente faz nas águas do Mar do Japão na região. Que tipo de “reivindicações” são significadas em Washington, McMarr não especificou. Ela apenas enfatizou que, na opinião dos Estados Unidos, esse território é internacional.

Por sua vez, o representante oficial do departamento militar russo, Igor Konashenkov, disse que o navio “almirante Tributs” da Marinha russa controlava o navio americano ao longo de toda a passagem perto da baía. No entanto, ele observa que durante todo esse tempo McCampbell não se atreveu a se aproximar da fronteira russa no Mar do Japão a menos de 100 quilômetros. Konashenkov também acrescentou que, no momento, o destróier “demonstra sua coragem” a 400 quilômetros das fronteiras marítimas da Federação Russa.

Antes, no Estreito de Bósforo, o grande navio de desembarque da Marinha Russa, o Orsk, passou perigosamente próximo …read more

Leia mais: Notícia Final

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close