'
  • Sem categoria

Mídia chinesa contou como cópias chinesas do Su-27 realizou a manobra “barril” perto do “Poseidon” americano

Mídia chinesa contou como cópias chinesas do Su-27 virou o "barril" perto do "Poseidon"

O canal de televisão chinês CCTV publicou uma reportagem, que fala sobre a operação dos jatos de combate P-11(J-11) da Força Aérea PLA, que são cópias licenciadas de aeronaves Su-27 russas. O relatório informa sobre a “vitória aérea”, que ocorreu em agosto de 2014 nas fronteiras aéreas da China.


Em particular, diz-se que em 19 de agosto de 2014, a aeronave de patrulha anti-submarina americana P-8A Poseidon se aproximou das fronteiras aéreas da República Popular da China. Os pilotos chineses receberam ordens para interceptar. O filme contém evidências das forças armadas americanas de que os pilotos chineses “realizaram manobras perigosas nas imediações do Poseidon”.

Do material:
J-11B chinês demonstrou suas armas e fez o giro “barril”.

Na China, o caso agora é chamado de “um exemplo vívido não apenas da alta manobrabilidade das aeronaves J-11, mas também da firme determinação dos pilotos chineses”.

Aeronaves americanas se recuaram.

Lembre-se que o J-11B é idêntico ao Su-27, mas, ao mesmo tempo, as aeronaves se diferem na eletrônica. Em particular, a versão chinesa da aeronave russa está equipada com um sistema de controle de ataque multiuso e um sistema de controle de vôo digital feito na República Popular da China.

Mais cedo, o comando chinês declarou repetidamente que os Estados Unidos estão envolvidos em provocações na área das fronteiras marítimas e aéreas chinesas. Neste caso, na maioria das vezes estamos falando de arquipélagos controversos, que Pequim considera território chinês. Os Estados Unidos afirmam que Pequim faz reivindicações ilegais a várias ilhas, incluindo o arquipélago de Spratly.

Deve-se notar que o arquipélago Spratly é frequentemente chamado de “germe de um novo grande conflito”. Ao mesmo tempo, mais cedo na mídia oficial da República Popular da China, eles tentaram não insistir em interceptações de aeronaves americanas, preferindo “não tornar as coisas tensas”. Agora, aparentemente, na China, eles decidiram …read more

Leia mais: Notícia Final

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close