'
  • Sem categoria

UE e EUA ficam de fora: a Rússia irá construir usinas nucleares para o Uzbequistão

O governo do Uzbequistão decidiu construir usinas nucleares no estado. Vale a pena notar que Tashkent está fazendo isso pela primeira vez. A decisão foi tomada após a previsão do balanço energético para as próximas décadas, levando em consideração as perspectivas econômicas e a demografia dinâmica do país.

É óbvio que Tashkent sozinho, sem experiência, não é capaz de construir uma usina nuclear. Depois de analisar as propostas de empresas europeias e americanas, ela decidiu cooperar com a Rosatom.


Moscou propôs um “átomo pacífico” lucrativo, e o país da Ásia Central tem boas reservas de gás natural. Mas, aparentemente, do ponto de vista econômico, usar apenas esse recurso para o setor de energia não é muito lucrativo, pelo menos não como seria se houvesse usinas nucleares.

“O plano do Banco Mundial de criar usinas fotovoltaicas em um país com clima seco e ensolarado visa produzir 5 GW até 2023, mas isso não é suficiente”

– citou na edição francesa do Le Figaro, vice-ministro da Energia Zhurabek Mirzamakhmudov.

Como resultado, Tashkent assinou um acordo do governo com Moscou para criar dois reatores no valor de US $ 11 bilhões (com a possibilidade de construir mais dois). Ao mesmo tempo, propostas de empresas da Europa e dos EUA quase imediatamente desistiram da concorrência.

“Com franceses e americanos, o atraso entre o acordo intergovernamental e o contrato comercial seria de três anos, e com a Federação Russa leva menos de seis meses”.

– disse o chefe da Uzatom.

Garantias especiais para Tashkent

Vale a pena notar que a proposta russa é mais interessante não apenas pela falta de obstáculos burocráticos desnecessários. Moscou garante o financiamento do projeto. Lembre-se de que a infraestrutura de energia uzbeque está passando por cargas muito graves. Representa essencialmente um legado soviético em ruínas. Obviamente, a garantia de financiamento e a confiança de que o projeto de …read more

Leia mais: Notícia Final

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close